CARDIFF: DO CASTELO À BAÍA, UM PASSEIO PRA UM DIA


O que fazer em Cardiff em um dia? Confira nesta postagem e viaje junto comigo!



É bem verdade que em um dia você consegue fazer um belo passeio em Cardiff, capital do pequeno País de Gales, que é um principado. Por isso, para quem está hospedado em Londres e já conhece bem a capital inglesa, vale muito a pena dar uma escapadinha ao país vizinho e conhecer Cardiff ou, como se diz em galês, Caerdydd. Afinal, somente cerca de duas horas de trem separam Londres de Cardiff, o que significa que dá perfeitamente para você voltar a Londres no mesmo dia! Foi exatamente isso que fizemos: às 8:45 da manhã, pegamos o trem da First Great Western na estação London Paddington com destino a Cardiff (chegada às 10:47 em Cardiff Central) e retornamos a Londres no trem das 19:25 (chegada às 21:39 em London Paddington).

Agora, é bem verdade também que eu teria gostado muito mais da minha viagem ao País de Gales se eu tivesse passado pelo menos uma noite em Cardiff. Esse era meu desejo inicial, mas, infelizmente, minha agenda apertada não permitiu. Se tivéssemos pernoitado na cidade, teríamos tido tempo de aproveitar suas lojas, pois a capital galesa tem um comércio muito bom e especialmente animado no verão. Eu só tive tempo de dar uma passadinha super rápida na popular loja de departamentos Primark, o que foi uma pena porque as liquidações estavam ótimas. Os preços em Cardiff são muito bons se comparados com os de Londres. Por isso, para mim, o único ponto negativo do passeio bate-volta Londres-Cardiff-Londres é não dar tempo de entrar nas lojas e fazer umas comprinhas. Diga-se de passagem que meu objetivo nessa viagem nunca foi o de fazer compras (posso dizer que quase nunca é, independente do destino), mas as vitrines das lojas, galerias e shopping centers de Cardiff estavam tentadoras, quase tudo on sale. Tirando esse problema, nosso passeio de um dia em Cardiff foi perfeito! E nem foi muito cansativo. Abaixo conto tudo em detalhes!

Então, vamos desembarcar agora na estação Cardiff Central e começar nossa visita de um dia à fascinante capital galesa!


Chegamos à estação Cardiff Central após uma viagem de cerca de duas horas no trem da First Great Western. A placa da estação de trem de Cardiff já era o primeiro sinal de que no País de Gales, além do inglês, também se fala o galês (em inglês, Welsh).  Cardiff em galês é Caerdydd e se pronuncia "cayerdeeth". Acho que essa é a única palavra que sei pronunciar em galês. A propósito, País de Gales em inglês é Wales e em galês é Cymru.


A viagem de trem de Londres a Cardiff foi muito tranquila até porque é feita em linha direta. Ir a Cardiff a partir de Londres e voltar no mesmo dia é perfeitamente viável.


A partir da Great Western Railway (estação ferroviária), fomos andando em direção ao Castelo de Cardiff, o que dá uns 10 a 15 minutos a pé. Não há nenhuma necessidade de se pegar táxi ou ônibus. É super fácil chegar ao castelo: saindo da estação de trem, entre na St Mary Street, uma rua de muito comércio, com lojas, restaurantes, cafés, lanchonetes (Mc Donald's, Subway ...) etc. Depois siga sempre em frente e quando você menos esperar verá o castelo. Siga as placas que indicam a direção do castelo que não há erro!


Já estamos na rua St Mary Street. Nossa caminhada ao castelo durou um pouco mais de quinze minutos porque eu parava para fotos. Se você sair muito cedo de Londres e não tiver tempo de tomar seu café da manhã, não se preocupe, pois nesta rua você encontrará muitas opções para isso.


Continuando pela St Mary Street, encontrei a famosa loja de departamentos do Reino Unido chamada House of Fraser (à direita). Mas nem cogitei entrar porque eu sabia que eu não teria tempo para fazer compras nesta viagem. Por isso é que eu digo que, se quiser aproveitar o comércio em Cardiff, o ideal é ficar, pelo menos, um dia e meio na cidade.


St. Mary Street e a loja House of Fraser à direita.


E seguindo ainda pela St Mary Street, a apenas alguns passos depois da House of Fraser, encontramos um simpático mercado de rua. Não sei se há todos os dias, mas já fique sabendo que há aos sábados. Repare nas bandeiras galesas que enfeitam a rua. Elas têm as cores verde e branco e um dragão vermelho, símbolo do País de Gales. Ah, à direita, dentro do prédio vitoriano de arcada, há o Cardiff Market, que funciona desde 1891. Preciso dizer que não deu tempo de entrar no Cardiff Market? Dê uma olhada no site do mercado e veja como teria sido legal se o tivéssemos conhecido por dentro. Deve haver muitas opções de souvenirs no Cardiff Market. Depois do Cardiff Market, a St Mary Street continua como High Street.
Então, logo depois do Cardiff Market, já conseguimos avistar uma parte do Castelo de Cardiff (Castell Caerdydd, em galês), que fica na Castle Street. O castelo fica bem no coração da cidade e é uma das principais atrações. 


Como você vai precisar de um tempinho para conhecer o complexo do Castelo de Cardiff (cerca de uma hora e meia), o melhor é deixar seu tour começar por ele.


À esquerda, a linda Torre do Relógio (Clock Tower) do Castelo de Cardiff. 


Ao entrar no castelo, na hora de pagar pela entrada (11 libras em 2013), pegue o áudio-guia (vão lhe oferecer e não se paga nada a mais por isso) se quiser andar pelo castelo e entender melhor sobre o lugar. Há áudio em português. Depois de pegar seu ingresso, você será conduzido a uma pequena sala para assistir a um vídeo de uns 10 minutos de duração. Ao término, você terá uma surpresinha que eu não vou contar para não estragar. Esta é uma das primeiras fotos que tirei dentro do castelo e aqui você já vê que o estádio do rúgbi (Millennium Stadium) é pertinho.


Dentro do Castelo de Cardiff (Cardiff Castle).


Dentro do Castelo de Cardiff, podemos avistar um amplo parque ao seu redor, que é o Bute Park. Mas não há tempo para percorrê-lo em um dia de visita à cidade.





Dentro de uma das ameias do Castelo de Cardiff, um castelo medieval.


Observando as ruas que cercam o castelo através de suas ameias.


O monumento The Abandoned Soldier (O Soldado Abandonado), em homenagem àqueles que valentemente lutaram pelo país, mas que não são tratados como heróis, porém é o que verdadeiramente são. Assim diz uma placa aqui.


The Norman Keep (a torre normanda com a escadaria em frente, no centro do castelo) e o Bute Park.


Percorrendo os corredores do castelo. 


Um modelo de trebuchet (catapulta), que era uma máquina de guerra feita para lançar pedras e outros projéteis grandes.


No verão é assim: adultos e crianças sentam no gramado dentro do complexo do Castelo de Cardiff e relaxam.


Ao fundo, the Castle Apartments (os Apartamentos do Castelo), onde vamos entrar daqui a pouco.


Meu marido não dispensou o audio guide.


The Clock Tower.



Não sei se há sempre exposição de carros antigos no Castelo de Cardiff, mas neste dia havia dois carros muito interessantes.


O magnífico teto do Salão Árabe dos Castle Apartments


O salão dos banquetes.


Os bonitos vitrais do salão.


O bonito painel sobre a lareira.


Outro aposento da mansão (Castle Apartments).


"John — Marquess of Bute, Mayor 1890-1891". Os Butes eram uma família nobre, que, no século XVIII, transformaram Cardiff num centro comercial do carvão. E, em 1913, a cidade chegou a ser o maior exportador do mundo.


A biblioteca da mansão.


Subindo as escadas para conhecer o interior da Norman Keep.


O interior da Norman Keep.


Do alto da escadaria da Norman Keep, temos esta ampla visão de todo o Castelo de Cardiff. Imperdível.


Dentro da Norman Keep.


Mais informações sobre o Castelo de Cardiff no site oficial, no qual você tem acesso também a uma visão panorâmica de todo o complexo do castelo. Vale a pena conferir aqui.


Na saída do Castelo de Cardiff, não deixe de dar uma passadinha na sua gift shop. Há artigos de presentes muito interessantes, principalmente para crianças.


As miniaturas são muito bem feitas e encantam não só as crianças, mas os adultos também.




Meu marido, por exemplo, não resistiu e comprou para ele a miniatura de um cavaleiro medieval.


Depois do castelo, fomos explorar a Queen Street, uma rua só para pedestres, cheia de lojas, uma das principais de Cardiff da qual você não vai querer fugir. Como Cardiff é uma cidade compacta, dá para você fazer todo o seu roteiro turístico a pé. A Queen Street, por exemplo, fica pertinho do castelo. E que tipos de lojas que você vai encontrar lá? Das mais conhecidas, praticamente todas! Exemplos: Gap, Benetton, H&M (minha recém-adorada), Accessorize e muitas outras!


A Queen Street é uma rua de grande movimento por causa do comércio e garante entretenimento inclusive no Aquaball (onde adultos também se divertem).


E foi em Cardiff (ainda na Queen Street) que vi pela primeira vez a loja Poundland, onde você encontra tudo (ou quase tudo) por one pound, ou seja, por uma libra. A libra esterlina é a moeda local. Eu sei que o Reino Unido tem várias lojas dessa rede, mas foi aqui, em Cardiff, onde eu dei de cara com uma e adorei descobrir. Mas nem cheguei a entrar na loja por falta de tempo. L 


Esta é uma das entradas do Queens Arcade, na Queen Street. A outra entrada fica na Working Street (veja foto mais abaixo). 


O Queens Arcade é um shopping center muito famoso em Cardiff, por isso eu dei uma entradinha só para ter uma ideia de como era e para tirar esta foto. Não tive tempo de andar por ele, mas, enfim, me pareceu um shopping como outro qualquer, sem ter me chamado muito a atenção.


Queen Street


A Primark é uma das minhas lojas favoritas na Europa e acho que da maioria dos brasileiros também. É porque ela vende de tudo (é tipo uma Renner do Brasil) e com preços muito bons, especialmente em épocas de liquidações. Muitos artigos têm preços melhores do que no Brasil. É claro que nem todas as peças são de ótima qualidade, então é preciso perder um tempinho na loja até você achar uma coisa bacana por um ótimo preço (roupas, cintos, bijuterias, maquiagem, óculos escuros etc.). Esta foi a única loja em Cardiff que eu entrei para tentar fazer algumas compras, pois realmente valem a pena. Mas o problema é que eu não podia perder tempo, por isso fiquei só uns vinte minutos, que não dão para nada, pois você tem que experimentar as roupas e a loja fica cheia. Por isso saí de lá apenas com um colar. A Primark fica na Queen Street.


Depois da Primark, vimos mais um tanto de outras lojas na Queen Street, como a M&CoSt David’s DewiSant...



Além da Zara, da Topman, da Topshop...


E ainda a famosa M&S...


O shopping center Capitol também está lá, na Queen Street.
  

O Capitol Shopping Center tem lojas famosas, entre elas, a H&M, a MAC, a Boots, a Poundworld, a Hobbs, a Accessorize e também o restaurante/café Pret a Manger.


Em nossas andanças pelo centro de Cardiff, vimos a St John the Baptist Church, uma bonita igreja.


E vimos também muitos restaurantes com mesas do lado de fora. A esta altura, já estávamos à procura de um para almoçarmos, e eu queria um dos pratos típicos da cidade, que é o cawl. Quem disse que eu achei?


Apesar de eu não ter procurado muito pelo cawl, a fome e a vontade de descansar um pouco nos fizeram sentar neste restaurante, que nos pareceu bem simpático, mas que também não servia o prato desejado. Apesar disso, gostamos do restaurante e do serviço.


O cawl é um tipo de ensopado de carne e legumes, que sustentava os mineiros. Esta foto eu baixei da Wikipedia.


Again, a torre da St John the Baptist Church.


E ali, pertinho de tudo, está o estádio de rugby de Cardiff, o Millennium Stadium, que já tínhamos visto de longe a partir do castelo.



Millennium Stadium - claro que não tivemos tempo de visitá-lo internamente, mas também não nos interessava muito.



O rugby é o esporte nacional.


Cardiff é uma cidade muito simpática e alegre no verão. Sem dúvida, uma cidade que merece ser curtida nessa época do ano. No inverno, Cardiff deve perder muitos encantos. Na foto, o famoso Caffè Nero (muito bom, por sinal), que existe aos montes pelo Reino Unido.


Esta é a outra entrada da galeria Queens Arcade, na Working Street, que tem a fachada maior e bem mais bonita do que aquela da Queen Street. Ai que vontade que deu de entrar, but no time at all.


E foi seguindo pela Working Street que finalmente encontramos o caminho certo para chegarmos à emblemática loja da John Lewis (foto mais abaixo). Antes, tínhamos ficado um pouco perdidos, mas é que é tudo tão perto que a gente acaba se enrolando. E a gente também ainda não tinha um mapa em mãos. Melhor pegar um mapa logo na chegada à cidade, no centro de informações ao turista (Cardiff Tourist Information Centre), na rua The Hayes. 



Passamos por uma pracinha toda florida.


Depois, na continuação da Working Street, pegamos esta rua, The Hayes, também cheia de comércio. E lá no final da rua, eu já via que tinha encontrado a loja da John Lewis.


E finalmente chegamos aonde queríamos!


Esta é uma das áreas mais bonitas de Cardiff, pois esse visual da loja John Lewis e da Cardiff Library causam um impacto. É uma das áreas mais movimentadas também. Não se pode visitar Cardiff sem passar por aqui.


À direita, o St David’s Dewi Sant, que é um shopping (esses prédios de cor bege ao lado). Aqui estamos no mesmo local da foto acima (em frente à loja John Lewis), simplesmente virei a câmera para tirar foto da rua de onde viemos (The Hayes).  Agora, me diga. Com tantas lojas reunidas no centro de Cardiff, é ou não é difícil (principalmente para as mulheres...) resistir à tentação de, pelo menos, algumas comprinhas? Mas, para isso, você precisa de tempo, que um dia de passeio não permite, caso você ainda não conheça a cidade, é claro.


Se, ao contrário de um lugar sossegado, você prefere almoçar no meio das aglomerações, seu point é este aqui, ao lado do Cardiff Library! Olha como fica cheio. É que aqui há um restaurante ao lado do outro e mesas nas calçadas, um clima de agitação que eu gosto!


Deixamos a agitação das redondezas da rua The Hayes, pegamos um mapa no Centro de Informações Turísticas e seguimos a pé até outra atração de visita obrigatória, que é o Civic Centre. Como não há metrô em Cardiff, foi preciso caminhar uns 15 a 20 minutos até chegarmos lá. No caminho, o símbolo do País de Gales, que é um dragão vermelho, chamava nossa atenção (há vários espalhados pela cidade).


Então chegamos ao Cardiff Civic Centre e dele fazem parte diversos locais de interesse, como os Friary Gardens, este pequeno e bonito jardim. No centro do Friary Gardens, a estátua do John III Marquess of Bute. Aqui pode ser uma boa pausa para seu descanso.


É também no Civic Centre que fica o prédio do Tribunal (Law Courts).


E, ao lado dos Law Courts, fica o National Museum, que conta sobre a história galesa e que dizem ser muito bom. É claro que não tivemos tempo de entrar.


E estes jardins são os Gorsedd Gardens, que ficam em frente ao National Museum. 


Gorsedd Gardens



Gorsedd Gardens, com os Gorsedd Stones ao centro, um círculo de pedras que foi construído em 1899.


Descansando em Gorsedd Gardens. Estava até rolando uma festa de casamento nestes jardins, mas não quis ser indiscreta e fotografar. Mas achei o máximo! Noivos e convidados bebendo e se divertindo cercados pela natureza e num dia lindo de sol de verão! 


Bonitas flores em Gorsedd Gardens.


Gorsedd Gardens não são só os jardins, mas também um parque, que fica em frente ao prédio da City Hall (Prefeitura), no Civic Centre. Há também outro parque muito bonito que não chegamos a conhecer, pois eu já estava preocupada com a hora, afinal ainda iríamos à baía de Cardiff. Refiro-me ao parque Alexandra Gardens, que tem o Welsh National War Memorial no centro, e que fica por essas redondezas (se eu não me engano, fica atrás do prédio da Prefeitura). E acho que é o parque mais bonito daqui...


E este é o prédio da City Hall (Prefeitura). Então, do Cardiff Civic Centre vimos as Friary Gardens, as Gorsedd Gardens, o Law Courts, o National Museum e o City Hall. Mas há outros prédios, como o Cardiff University Main Building e o Temple of Peace. Apesar de ser um dos cartões-postais de Cardiff, o Civic Centre é uma área muito tranquila e com poucos turistas. Foi um lugar bom para a gente descansar um pouco, mas confesso que foi a parte menos interessante do tour, apesar dos bonitos jardins e importantes prédios. Mas, mudando de assunto, já estava mais do que na hora de irmos para Cardiff Bay; porém, andar até lá, àquela altura, seria bem puxado. Então, uma opção seria pegar um ônibus, mas ainda tínhamos que descobrir onde era o ponto e qual ônibus pegar. Por isso resolvemos pegar um táxi. Nós já tínhamos visto um ponto de táxi perto daqui (a uns 5 minutos voltando), em frente ao Hotel Hilton. E foi a melhor escolha! A corrida de táxi até Cardiff Bay custou apenas 6.60 libras (de ônibus, cada um pagaria 1,70). Ah, a direção do país é a inglesa, ou seja, o motorista dirige do lado direito do veículo. Cool!


Em apenas cinco minutos de táxi, chegamos à Cardiff Bay (Baía de Cardiff) e saltamos em frente ao Mermaid Quay ("quay" se pronuncia "ki"; "quay" quer dizer "cais"), na New George Street, onde há um ponto de táxi. Anote essa dica, pois não se pega táxi no Reino Unido como se pega no Brasil; eles só pegam os passageiros nos pontos. O Mermaid Quay é um complexo de lojas e restaurantes (mas muito mais de restaurantes), o point para beber e comer. Minha outra dica é: deixe para ir ao Cardiff Bay no final da tarde, quando ela fica bem mais animada, com mais gente e uma ótima vibe. Além disso, você encerra seu dia sem corre-corre, pois os restaurantes, cafés, pizzarias etc. ficam todos concentrados ao redor da baía e o Millennium Centre é pertinho, ou seja, dá para fazer tudo a pé. Nós chegamos aqui por volta das 17:00.


A única coisa que você tem que fazer em Cardiff Bay é escolher um lugar para lanchar/jantar/tomar um café, um sorvete etc., relaxar e perambular entre residentes e turistas. A parte difícil vai ser escolher onde sentar, pois as opões de drink and food são muitas! À esquerda, o Cadwaladers (coffee & ice-cream café) é uma boa pedida para quem gosta de café ou sorvete na melhor categoria!


Se você tiver tempo, poderá ainda fazer um passeio de barco pela baía de Cardiff, que deve ser muito gostoso no verão. Com certeza, eu teria feito se tivesse ficado mais um dia na cidade. Parece que há vários tipos de passeios e de opções de barco.


O bonito prédio da foto é o Pierhead Building, que se destaca em Cardiff Bay. O relógio de sua torre é informalmente conhecido como o “Big Ben do País de Gales”. O Pierhead Building foi construído em 1897 e atualmente sedia eventos culturais, como conferências, e oferece filmes e exposições sobre a história galesa. Em frente ao Pierhead Building, o carrossel (acho o nome desse brinquedo em inglês tão bonitinho: merry-go-round) dá um toque de alegria e magia à baía de Cardiff.




Mermaid Quay



E a alguns passos do Pierhead Building, pois também fica em Cardiff Bay, está o Wales Millennium Centre. O centro tem uma variada programação cultural.


Veja como o Millennium Centre fica pertinho da agitação do Mermaid Quay (ao fundo).


O Wales Millennium Centre é o local de apresentações artísticas, tais como danças, shows e peças teatrais. No dia que o visitamos estava acontecendo uma apresentação de canto (de graça).


Parte do interior (hall de entrada) do Wales Millennium Centre.


Dentro do Wales Millennium Centre, encontramos um café bem mais tranquilo e, como de cara vimos esses sofás tão confortáveis, foi aqui mesmo onde resolvemos ficar para o nosso café. E fomos atendidos por uma portuguesa muito simpática. Então, aqui vai mais uma dica: se preferir fazer seu lanche num lugar mais reservado em Cardiff Bay, entre no Millennium Centre. E também é bom ficar sabendo que há ótimos banheiros (de graça) no Millennium Centre.


Área de lazer ao lado do Wales Millennium Centre.


A baía de Cardiff e, ao fundo, o bonito 5 estrelas St David’s Hotel & Spa.


Às margens de Cardiff Bay, as pessoas caminham, curtindo o dia, muitas com uma cervejinha nas mãos.


Para quem tiver tempo a bordo de um barco, como deste da foto, clique neste site para você ver o que oferecem como sightseeing tours.


 The St David’s Hotel & Spa



Aqui já é um party boat.


Resumindo o que achei da minha experiência em Cardiff Bay: Amei!!! Foi tão bom ou ainda melhor do que conhecer o centro da cidade. Cardiff Bay é um lugar vibrante e ao mesmo tempo relaxante. Um lugar para se reunir com amigos e se divertir. Inclusive, acho até que estava rolando uma festinha particular ao ar livre em frente ao pub The Mount Stuart. Os restaurantes ao redor da baía ficam cheios de gente e de alto astral. Mas é bom lembrar que esse clima eu presenciei em um sábado de verão. Enfim, Cardiff Bay é, sem dúvida, a melhor maneira de fechar seu dia na capital galesa.


De Cardiff Bay, pegamos novamente um táxi até a estação de trem e pagamos somente 5 libras pela corrida. Eu acho que vale muito a pena pegar táxi em Cardiff porque as corridas são curtas. Fica a dica! Aqui já estamos na estação e resolvi fotografar a placa para mostrar que todas elas (ou quase todas) em Cardiff contêm informações em inglês e em galês. Essas palavras em galês até devem ser fáceis de pronunciar, mas há aquelas bem extensas e com várias consoantes juntas, que só mesmo os galeses conseguiriam pronunciar. Outros exemplos de palavras galesas: ymwelwyr (= visitors); gwybodaeth bwysig am ddiogelwch (important safety information). J


O inglês e a tradução em galês.



Na estação Cardiff Central, à espera do nosso trem. Será que este viajante solitário também queria embarcar? J


E este é o trem da First Great Western que nos levou de volta a Londres. Tudo funcionou perfeitamente bem com essa empresa, tanto na ida quanto na volta da viagem. Abaixo conto detalhes sobre a compra das passagens de trem de Londres para Cardiff. 


Na estação London Paddington, imprimimos nossas passagens nas máquinas de atendimento da First Great Western. Éramos dois passageiros, mas recebemos sete tíquetes: as passagens de ida e de volta, as reservas de assento e o recibo. Portanto, não estranhe. Vem tudo isso mesmo.



Neste vídeo, mostro um pouco do Cardiff Castle e da Cardiff Bay. Desculpe pelo treme-treme da máquina! E, se não conseguir tocar o vídeo diretamente acima, é só clicar neste link:
http://www.youtube.com/watch?v=C0pAa4SydvA



A Inglaterra, a Irlanda do Norte, a Escócia e o País de Gales compõem o Reino Unido. Fonte desta imagem: Wikipédia.


******************************************************

Então, acho que um dia e meio é o tempo ideal para aproveitar CardiffA única vantagem de se voltar a Londres de trem no mesmo dia é não precisar carregar toda sua bagagem e não perder tempo com check-in no hotel. Enfim, coloque tudo na balança e decida qual será a medida certa para seu passeio!

E mais duas observações importantes: Eu falei das atrações turísticas em Cardiff, mas não falei de seu povo. Os galeses são muito simpáticos e receptivos! Outro ponto a favor de Cardiff é a segurança que oferece. Você se sente muito tranquilo andando na cidade, mesmo sendo mulher e estando sozinha.


Curiosidades: 

  • Cardiff é conhecida como a "jovem capital" do País de Gales, pois é a mais nova capital da Europa (é de 1955).
  • O País de Gales tem 641 castelos.
  • Os anglo-saxões não conseguiram invadir o País de Gales, diferentemente do que aconteceu com a Inglaterra. Portanto, o País de Gales não vive de tradições celtas.


Para esticar a viagem:

Há dois castelos famosos perto de Cardiff: o Castelo Coch, conhecido por parecer com o Castelo da Cinderela, e o Castelo Caerphilly, que é o segundo maior da Grã-Bretanha, só perdendo para o Castelo de Windsor. O Castelo Caerphilly tem uma torre ainda mais inclinada do que a Torre de Pisa, na Itália.


Melhor época para visitar Cardiff:

O verão. Com os dias quentes e longos, a animação é contagiante.


Viagem de trem de Londres para Cardiff:

Viajamos para Cardiff pela empresa ferroviária First Great Western (FGW), tendo como ponto de embarque a cidade de Londres, onde estávamos hospedados. Comprei as passagens pela internet no Brasil com cerca de dois meses de antecedência. O procedimento é o seguinte: primeiro você tem que se cadastrar no site da FGW e depois faz a compra. E o valor da viagem será descontado em seu cartão de crédito no mesmo dia da compra.

Na época, a FGW não oferecia a possibilidade de imprimir seu ticket em casa, o que seria bem mais prático, pois bastaria entrarmos direto no trem com esse ticket impresso e entregarmos ao fiscal para verificação durante a viagem (entra um fiscal no seu vagão depois de cerca de meia hora de viagem). Então, o que você terá de fazer, se até o dia da sua viagem ainda não existir a possibilidade de imprimir o ticket em casa, é escolher no momento da compra online a estação ferroviária de London (se seu embarque for em Londres, é claro) de onde deseja collect your ticket, ou seja, retirar seus tickets, o que será feito a partir de uma das máquinas da FGW (são chamadas de fast-ticket machines ou self-service ticket machines) que ficam disponíveis na estação. Você terá de fazer tudo by yourself. Provavelmente sua escolha será a estação London Paddington, pois é de lá que partem os trens para Cardiff. Durante a compra online, você também escolhe os dias da viagem, os horários, o vagão (coach) e os assentos. A estação de trem onde você deverá desembarcar em Cardiff é Cardiff Central. Provavelmente, se você entende um pouco de inglês, não terá dificuldades de fazer a compra pelo site da FGW, pois ele é bem informativo.

Foi justamente em London Paddington onde retiramos nossos tickets nas tais self-service machines da FGW e o fizemos no mesmo dia de nossa viagem, com cerca de uma hora de antecedência para não haver erro, pois era a primeira vez que fazíamos essa viagem. Mas foi muito fácil retirá-los. Basta digitar na máquina o número de sua reserva (leve o papel que você imprimiu em casa com o número da confirmação da compra) e inserir o seu cartão de crédito, o mesmo que você usou para fazer a compra online. É muito importante você não se esquecer de levar o mesmo cartão de crédito (e válido!) porque a máquina pede mesmo para inseri-lo. Eu até fiquei meio bolada na hora, achando que eles poderiam me cobrar novamente, mas não se preocupe. Nada me foi cobrado depois, até porque você não precisa digitar sua senha, apenas introduzir seu cartão para a máquina fazer a leitura dos dados. Você vai receber todos os tickets de uma vez só: os de ida, os de volta, os das reservas de assento, e o do recibo da compra. Com eles em mãos, você está pronto para entrar no seu vagão e ocupar o assento marcado.

Caso você não tenha o número da reserva nem o devido cartão de crédito na hora de retirar seus tickets na máquina, você terá de comprar novas passagens, segundo o site da FGW. Então, não vacile! Há um balcão de informações da FGW na estação da London Paddington bem em frente às self-service machines da FGW. Você pode tirar suas dúvidas com os seus funcionários (havia dois), mas você mesmo é que terá que imprimir seus tickets. Porém, como falei, foi bem fácil.

Eu não quis deixar para comprar as passagens no dia da viagem e direto na estação por receio de não encontrar mais os horários e assentos desejados e para poder ter descontos.

Valores das passagens: A ida (London-Cardiff) custou 19.50 libras e a volta (Cardiff-London) custou 16 libras. Pagamos a tarifa “Advance”, que é mais barata, pois compramos com antecedência. Os valores citados foram por passageiro e em segunda classe (mas confortável o bastante para uma viagem de cerca de duas horas). Compramos diretamente no site da First Great Western e foi onde encontramos tarifas mais baratas. Pelo site da Britrailque é o site oficial do sistema ferroviário britânico, as passagens estavam mais caras. Aliás, foi só no site da FGW que encontrei as passagens mais baratas para Cardiff. E deu tudo certo!  

Duração da viagem: A ida (London-Cardiff) é de cerca de 2 horas. A volta (Cardiff-London) é de cerca de 2 horas e 15 min.

Site da First Great Western: www.firstgreatwestern.co.uk


Outras fantásticas viagens internacionais de trem a partir de Londres:

* Edinburgh. Fomos pela East Coast, a partir de Londres, e pudemos imprimir os tickets em casa (perfeito!). A viagem dura cerca de quatro horas e meia.

* Paris. É só pegar o Eurostar e em duas horas e meia você está na capital francesa! 

Data desta viagem: 20/07/13


Boa viagem à Caerdydd!

3 comentários:

Anônimo disse...

Oi Regina, estive em Cardiff mês passado e simplesmente adorei a cidade. É mesmo td o que vc falou. Fiquei por lá 2 semanas e a gente se perde nas compras...rsss Uma pena vc não ter tido tempo para aproveitar as lojas, mas seus passeios ( e fotos) estão maravilhosas. Um gde abraço. Paula.

Regina Mendes disse...

Nossa, duas semanas em Cardiff dá mesmo para se perder nas compras, Paula rsrs Pois é, se eu tivesse tido, pelo menos, mais um dia na cidade, aproveitaria mais das lojas. Achei os preços muito bons. Que bom que você conseguiu aproveitar a cidade ao máximo. Também adorei Cardiff! Obrigada pelo comentário! Beijo!

Regina Mendes disse...

Paula, você chegou a comer o cawl? Se sim, onde encontrou? Gostou? Voltei um pouco frustrada por não ter achado. Também não tivemos muito tempo para procurar. E já estávamos famintos. Sempre gosto de experimentar as comidas típicas locais.