NATAL: "A CIDADE DO SOL" BRILHA O ANO INTEIRO

Natal, capital do Rio Grande do Norte, é especial já pelo seu nome, que não poderia ser outro. Afinal, a cidade foi fundada no dia 25 de dezembro de 1599. E o que falar de sua paisagem, que reúne praias e dunas de areia? Pra lá de especial também. Aliás, quando falamos das belezas naturais de Natal, não podemos deixar de falar de todo o litoral do seu estado, pois, além de ser muito lindo, muitas de suas praias podem ser facilmente exploradas em passeios de um dia a partir da capital (podem ser chamadas também de praias da Grande Natal). Então, não dá para visitar a capital potiguar sem conhecer, pelo menos, as principais atrações litorâneas fora de seus limites urbanos, tanto ao norte quanto ao sul. Quer dizer, claro que é possível curtir somente a capital potiguar e se apaixonar por ela (embora ainda precise de mais investimentos para melhorar o turismo, pois algumas áreas estão mal cuidadas), mas as grandes atrações paisagísticas ficam um pouco afastadas, porém alcançadas em uma ou duas horas de carro, ônibus, van ou buggy. Por falar em buggy, a emoção a bordo de um deles também completa uma visita inesquecível a Natal.

O nome e as paisagens não são as únicas coisas especiais de Natal. Os seus dias também. Graças ao astro-rei que brilha lá numa média de 300 dias por ano, daí o apelido de "A Cidade do Sol". Para falar a verdade, já vi outros números menores representando essa média, mas não se discute o fato de que os dias são quase sempre ensolarados. O sol pode até acordar e se despedir tímido em alguns dias, mas se mostra presente. Claro que chove na região e chove bem em alguns dias. Fomos a Natal no verão e quando chegamos, o dia estava bem encoberto e choveu à noite. O dia seguinte amanheceu chuvoso, mas, por volta das 17 horas, já tinha parado de chover e depois, nos três dias seguintes em que lá permanecemos, o céu não derramou uma só gota (apesar da meteorologia sempre ter previsto chuva nesses dias...). É verdade também que não pegamos dias com o céu azulzinho, sem nenhuma nuvem, mas só o fato de não ter chovido já ajudou muito nossos passeios. Os dias são quase sempre ensolarados em Natal por causa de sua proximidade com a linha do Equador. De qualquer mudo, para garantir uma viagem de máximo de dias sem chuvas em Natal, é melhor evitar o período de abril a junho.  

Tirando seu nome e suas paisagens, tem mais alguma coisa especial sobre a capital potiguar? Sim! A sua gastronomia, claro! E o nome "potiguar" já dá a dica do que o povo de lá gosta de comer. "Potiguar", em tupi-guarani, significa "comedor de camarão", então esteja preparado para encontrar nos menus dos restaurantes diferentes tipos de pratos com esse crustáceo. Aliás, o Rio Grande do Norte é o maior produtor de camarão do Brasil. E como uma boa cidade nordestina, não faltam também peixes e deliciosas tapiocas, por exemplo.     

No pacotinho das coisas especiais de Natal, não podem ficar de fora os natalenses, é claro, que são um povo que recebe muito bem o turista. Os garçons, em especial, são muito simpáticos, sempre querendo agradar. Então, já viu que não faltam bons motivos para visitar Natal. Seja num feriado prolongado, nas férias, na viagem para Fernando de Noronha (aproveitando a conexão em Natal para passar alguns dias lá) ou numa data especial, como, por exemplo, em dezembro, quando o carnaval deles fora de época enche as ruas de folia. Um evento importante está chegando aí: a Copa do Mundo de 2014. E Natal é uma das cidades-sede da Copa. Então, já encontrou seu motivo?

Nesta postagem, para não ficar muito extensa, tratarei de falar apenas das atrações da capital potiguar. Os famosos roteiros do litoral norte (Genipabu, Jacumã etc.) e do litoral sul (Pirangi, Pipa etc.) do Rio Grande do Norte merecem postagens à parte. Veja abaixo como a capital sozinha irá preencher sua agenda turística.      


AS PRAIAS

As praias são os principais atrativos da capital potiguar, com destaque para Ponta Negra, até porque, entre as praias urbanas, conforme pesquisei, é a que mais geralmente está própria para o banho. Esta praia é disparada a preferida dos turistas. Aliás, Ponta Negra é o principal bairro turístico por causa dos restaurantes e bares da região, da vida noturna e dos hotéis, que lá somam boa parte deles. Há algum tempo, a Praia do Meio é que era a mais turística, mas, como o turismo foi crescendo na capital, novos hotéis começaram a pipocar em Ponta Negra e na Via Costeira (continuação da Praia de Ponta Negra) e com isso novos restaurantes, novas lojinhas, e assim firmou-se a propaganda de que Ponta Negra é o melhor point. Mas se sua ideia de férias em Natal for a de estar numa praia para chamar de sua ou de se divertir com seus filhos, o seu lugar é em um dos hotéis/resorts da Via Costeira. Obviamente, as taxas de hospedagem são mais caras. 


Ponta Negra:

Fomos conhecer a Praia de Ponta Negra no final de um dia de chuva. Quando a chuva deu uma parada, corremos para o calçadão da praia. Este trecho da Praia de Ponta Negra fica perto do hotel onde nos hospedamos, o Quality Suítes Natal. A partir daqui, caminhamos em direção ao Morro do Careca.


O Morro do Careca (ao fundo), que é uma duna na extremidade sul da Praia de Ponta Negra, é o principal símbolo turístico de Natal. Hoje em dia a duna não pode mais ser usada para a prática do esquibunda ou para qualquer outra atividade para evitar o seu desgaste. 


O que eu achei da Praia de Ponta Negra? Bem, como você pode ver, minhas impressões não foram as das melhores. Fui em janeiro de 2014 e toda a extensão da orla pela qual caminhei neste dia estava mais ou menos nesta situação. É verdade que a orla está em reestruturação, mas, pelo o que me disseram os natalenses, essa obra já era para estar pronta. O calçadão à beira-mar da Praia de Ponta Negra foi completamente destruído em 2012 devido a um avanço da maré. O estrago foi muito grande.   


Uma placa da Prefeitura de Natal que encontrei na orla da Praia de Ponta Negra (Av. Erivan França) dizia o seguinte: "Reestruturação da orla marítima de Natal. Valor da obra: R$12.692.890,02. Prazo de entrega: 31/05/2014". Será? 


É em Ponta Negra onde fica boa parte dos hotéis, pousadas, bares e restaurantes. 


É preciso descer ladeiras e escadas para se chegar à orla da Praia de Ponta Negra (mais abaixo explico mais sobre isso).


Mas mesmo tirando o fato de o calçadão da Praia de Ponta Negra estar bem quebrado, um problema que um dia estará solucionado, eu não achei a praia muito interessante neste dia. Acho que eu não fui muito sortuda com meu primeiro encontro com a Praia de Ponta Negra. É que o mar em ressaca não deixou revelar o tipo de praia que Ponta Negra costuma ser para atrair tantos banhistas. Veja a estreita faixa de areia, que, neste ponto da praia, até que estava grandinha. Ou seja, encontrei a Praia de Ponta Negra bem diferente daquela que já vi em muitas fotos. 


Mas a orla da Praia de Ponta Negra é cheia de lojinhas e restaurantes informais e isso eu gostei bastante. A única coisa chata é que a toda hora você é parado por vendedores nos dois lados da calçada querendo lhe vender um passeio turístico, tentando pegar seus dados para você concorrer a um sorteio de um almoço grátis no restaurante tal etc. Você não consegue caminhar em paz. Tudo bem que eles estão fazendo o trabalho deles e isso eu entendo e respeito, mas eles também têm que respeitar o nosso momento. 


Então, veja, são muitas lojinhas (muitas vendem lembrancinhas da cidade) e até algumas pequenas galerias pela orla da Praia de Ponta Negra. Há muitas lanchonetes também que vendem, por exemplo, sanduíches, açaí e tapiocas. É uma caminhada bem gostosa que se pode fazer até o Morro do Careca ou até perto dele. (OBS: Fui informada na cidade que o Morro do Careca à noite não é muito seguro. Fica o alerta.)


Tem também essa fábrica de roupa de praia na orla da Praia de Ponta Negra.


Chegando mais perto do Morro do Careca, encontramos um restaurante que se destoa bastante dos demais. Esse tem uma fachada sofisticada e, apesar de eu não ter conhecido o seu interior, deu para ver que é um restaurante de um nível superior. É o restaurante Aquarius, que faz parte do complexo hoteleiro Aquaria Natal Hotel (o restaurante fica ao lado do hotel).



O Aquaria Natal Hotel é um hotel 4 estrelas que fica mesmo à-beira mar da Praia de Ponta Negra. Ele me chamou bastante a atenção, inclusive pelo seu tamanho. Comentários sobre este hotel no Tripadvisor.


Em outro dia voltamos a passear pela orla da Praia de Ponta Negra, porém num trecho um pouco mais distante do Morro do Careca. Este trecho fica perto do restaurante O Peixe, na Avenida Engenheiro Roberto Freire. É que tínhamos acabado de almoçar nesse restaurante e resolvemos descer até a praia. Digo "descer" porque a maior parte de Natal (ou, pelo menos, boa parte dela) fica numa colina. Então, se o seu hotel for, por exemplo, na Avenida Engenheiro Roberto Freire, você terá de descer algumas ladeiras bem íngremes (às vezes, com algumas escadarias) para chegar à praia. É puxado para idosos, por exemplo, e, dependendo do trecho da orla, carros não passam, havendo somente o calçadão para pedestres (como na foto abaixo). Então, nesses casos, é preciso vencer algumas ladeiras e/ou escadarias para se conseguir um táxi tanto na ida quanto na volta da praia. Dando uma olhada no Google Maps, você tem uma boa noção da distância entre a Av. Engenheiro Roberto Freire (é só colocar esse nome na pesquisa) e a orla da praia.


Novamente encontrei uma estreita faixa de areia na Praia de Ponta Negra devido à ressaca do mar (foto superior, à esquerda), portanto, pouquíssimos banhistas. E neste trecho, ao invés de muitas lojinhas e restaurantes e lanchonetes, encontrei muitas barraquinhas que vendiam artigos variados, tais como artesanato e roupas de praia. E o calçadão deste lado não estava quebrado. A Praia de Ponta Negra tem cerca de 4 km de extensão. 


Via Costeira:

Partindo da Praia de Ponta Negra, a continuação é a Praia da Via Costeira. Quem tiver disposição, pode vir caminhando a partir do Morro do Careca (ao fundo) até aqui para encontrar uma praia semi-deserta.


A Via Costeira tem 10 km de extensão e ela é assim, quase deserta, porque é de uso quase exclusivo dos hóspedes dos hotéis/resorts (Sehrs, Pestana, Ocean Palace etc.). 


Miami:

Continuando na sequência de praias, temos a Praia de Miami, que é pequena e meio deserta também (ainda mais para um domingo de verão como este), acredito que por causa de seu mar que dizem estar sempre imprópria para o banho. Segundo nosso motorista, a Praia de Miami é frequentada por surfistas. Esta praia leva o nome de Miami porque na época da Segunda Guerra Mundial os americanos costumavam frequentá-la. Para quem não sabe, durante a Segunda Guerra Mundial, Natal serviu de base militar para os americanos.


Areia Preta:

A Praia de Areia Preta fica ao lado da Praia de Miami e, apesar do nome, não tem a areia preta, mas sim essas pedras bem pretas mesmo. É também uma praia bem tranquila, porém com mais gente do que a Praia de Miami. Geralmente tem boas ondas para os surfistas, mas o mar também está quase sempre impróprio para o banho. Vários prédios em frente à praia formam o cenário da região. Agora um lembrete: fiquei sabendo pelos locais que é preciso ficar atento ao perambular pelas praias urbanas (Miami e Areia Preta principalmente por serem mais desertas) devido a assaltos, excetuando-se a Praia de Ponta Negra, que é mais segura. Então, cuidado maior com máquinas fotográficas caras e outros pertences de valor. Enfim, toda cidade tem lugares que são menos seguros que outros... 


Este é um trecho entre a Praia de Areia Preta e a Praia dos Artistas, num local chamado Ponta do Morcego. Fica ao lado da churrascaria Fogo & Chama. Daqui tem-se uma bela vista das praias de Natal.


Da Ponta do Morcego, podemos ver a Praia dos Artistas, seguida da Praia do Meio e depois a Praia do Forte.


Praia dos Artistas:


É a partir da Praia dos Artistas que o movimento de pessoas começa a ficar maior, mas também vi poucas pessoas tomando banho de mar. Provavelmente o mar aqui também não devia estar próprio para o banho. Por aqui há muitos restaurantes.   


A Praia dos Artistas também tem muitas pedras pretas.


Praia do Meio:

Após a Praia dos Artistas, está a Praia do Meio, facilmente identificada pela presença da estátua de Iemanjá. E, por coincidência, no dia em que visitei esta praia (embora rapidamente porque o táxi não podia estacionar em frente), estava sendo celebrado o seu dia: 2 de fevereiro. Então a festa dos religiosos deixou a Praia do Meio ainda mais bonita. É uma praia mais movimentada do que a dos Artistas. Digo isso não por causa deste dia, que naturalmente atraiu mais gente à praia, mas porque todas as vezes que passei por aqui de carro, a quantidade de pessoas que por aqui transitavam era visivelmente maior. Há mais vendedores no calçadão, inclusive. Até a década de 80, era esta a praia mais turística de Natal. Hoje é mais frequentada por natalenses.


A Rainha Iemanjá segurando as oferendas, no seu dia. Ah, repare ao fundo e veja que a Praia do Meio tem uma extensa barreira rochosa.


A homenagem à Iemanjá nas areias da Praia do Meio. 


Praia do Forte:


Após a Praia do Meio, temos a Praia do Forte, onde está a Fortaleza dos Reis Magos. Inclusive esta foto foi tirada a partir da fortaleza. A Praia do Forte é onde as águas do Rio Potengi e do Oceano Atlântico se encontram. A Praia do Forte também possui formações rochosas, possibilitando a existência de piscinas naturais.   


Redinha:

Esta é a Praia da Redinha, que eu conheci a partir deste ângulo, quando fiz o roteiro do litoral norte. Pelo menos posso dizer que daqui o cenário é lindo: um monte de casinhas rústicas juntas e lá no final aquele marzão. Quem frequenta a Praia da Redinha costuma comer da iguaria local, a famosa ginga com tapioca (peixe frito com tapioca). Ao fundo, vemos a Ponte Newton Navarro, que liga o bairro da Redinha ao bairro de Santos Reis. Opiniões de quem teve um contato maior com a Praia da Redinha no Tripadvisor.


FORTALEZA DOS REIS MAGOS


A Fortaleza dos Reis Magos, localizada na Praia do Forte, é um dos principais pontos turísticos de Natal e onde se pode ter um contato com a história da cidade. A construção do forte iniciou-se em 6 de janeiro de 1598 (é mais antiga do que a cidade, fundada em 25 de novembro de 1599), que é Dia de Reis. A fortaleza tem formato de estrela de cinco pontas, o que pode ser observado quando vista de cima. A Fortaleza dos Reis Magos, construída pelos portugueses, é o marco zero da capital e foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Uma preciosidade encontrada em seu interior é o Marco de Touros, de 1501, considerado o mais antigo monumento do Brasil. Para visitar o interior do forte, paga-se uma taxa simbólica e você pode conhecê-lo por conta própria ou com um dos guias locais. 


Uma longa passarela leva o visitante ao portão de entrada da Fortaleza dos Reis Magos. É preciso deixar o carro no estacionamento do lado de fora. Até chegar ao forte, você anda por uns 10 a 20 minutos, dependendo do seu ritmo. A caminhada é prazerosa.


Daqui, da passarela que conduz à fortaleza, tem-se uma das melhores vistas da Ponte Newton Navarro, que atravessa o Rio Potengi. A ponte liga o bairro de Santos Reis ao bairro da Redinha.


Chegando à Fortaleza dos Reis Magos.


Já estamos no interior da Fortaleza dos Reis Magos. No centro, a capela.


Os magos Baltazar, Gaspar e Belchior na capela da Fortaleza dos Reis Magos.


Grupo de visitantes ouvindo as explicações do guia do forte - esta é a melhor maneira de conhecer seu interior e entender sua história. Não é cobrada nenhuma taxa por essa visita guiada, mas é esperada uma contribuição por parte do visitante.


O interior da Fortaleza dos Reis Magos com a Capela no centro. Aqui dentro há algumas lojas de artesanato.


Do interior da Fortaleza dos Reis Magos, somos privilegiados com uma bela vista da Praia do Forte.


Fortaleza dos Reis Magos e a Praia do Forte.


Um dos velhos canhões originais da Fortaleza dos Reis Magos e a  Ponte Newton Navarro.


O Marco de Touros, guardado na Fortaleza dos Reis Magos, é considerado o marco do descobrimento do Brasil. Agora, uma crítica construtiva ao local: o forte precisa de uma melhor conservação.


PARQUE DAS DUNAS

O Parque das Dunas é uma reserva ambiental e conta com 1.172 hectares de Mata Atlântica. Rico em fauna e flora. O parque possibilita o turismo ecológico e é pelo setor Bosque dos Namorados que o visitante tem acesso a ele. Consulte o site do parque para saber quais são os espaços de uso público (aqui) e sobre as trilhas (aqui). Mais informações aqui. (Não fizemos essa visitação.)


O Parque das Dunas é o segundo maior parque urbano do Brasil, só perdendo para o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ele acompanha um ex-ten-so trecho do litoral de Natal. Quando você estiver passando pela Via Costeira (continuação da Praia de Ponta Negra), você verá de um lado o Parque das Dunas (na foto, à esquerda) e do outro lado os resorts. É uma paisagem bem diferente, pois você não espera encontrar, de repente, ao lado de uma avenida urbana, esse imenso "paredão" de areia e vegetação. Esse cenário diferente foi uma das coisas que mais me atraíram na capital potiguar.


CENTRO DE TURISMO

O Centro de Turismo de Natal, tombado pelo Patrimônio Histórico, é um centro cultural e de artesanato. Fica no bairro de Petrópolis e é considerado um dos principais lugares de visitação na cidade, inclusive por causa do evento Forró com Turista, que é uma aula e show de forró. O Centro de Turismo, inaugurado em 1976, está instalado onde era uma cadeia pública, então cada loja ocupa uma de suas antigas celas. 


Este é o pátio do Centro de Turismo de Natal, onde é realizado, às quintas-feiras, a partir das 22:00, o Forró com Turista, um evento (para o qual se paga ingresso) que reúne turistas e natalenses ao ritmo de muito forró. Parece ser bem divertido, pois os dançarinos profissionais contratados interagem com a plateia, convidando as pessoas para dançarem e para aprenderem alguns passos. Só não voltamos aqui à noite (visitamos o Centro justo numa quinta-feira) porque estava chovendo e achamos que a farra iria ficar um pouco prejudicada. Mas saiba que mesmo com chuva acontece o evento porque, conforme me informaram aqui, é colocada uma cobertura no pátio. 


No Centro de Turismo de Natal, você vai encontrar muitas bolsas de tecido, roupas em geral, saídas de praia, panos de prato, toalhas e centros de mesa, roupas de cama, artesanato, enfim, todos aqueles artigos típicos de um centro comercial regional. 


Ao redor do pátio do Centro de Turismo, nos quatro lados, há lojas. São muitas, mas chega uma hora que as coisas já ficam muito repetitivas, como é o caso dos souvenirs de Natal, principalmente o artesanato. Aqui há também um restaurante que serve almoço.


Exemplos de objetos de artesanato vendidos no Centro de Turismo de Natal. 


Encontre os mais variados tipos de souvenirs no Centro de Turismo de Natal.


Veja que as lojas do Centro de Turismo de Natal ocupam as antigas celas do presídio. Inclusive, as lojas são numeradas com o nome "cela". Observe também a janela da cela.


A melhor loja de artesanato no Centro de Turismo de Natal está no prédio de dois andares e ela fica no segundo andar. A loja é a maior de todas, então há muitas variedades de artigos,  de diversos tamanhos, dos mais simples aos mais vistosos.      


Muitos quadros também são vendidos nessa loja maior, do segundo piso. Ah, sim, há também presépios natalinos e os Três Reis Magos em madeira. Aliás, em vários pontos de Natal, você verá estátuas representando os Três Reis Magos, que são também um símbolo da capital.


Há muitas estátuas de santos também, grutas em pedra, estátuas de nordestinos e muitas outras coisas. Por isso, não deixe o Centro de Turismo antes de passar nesta loja. 



E foi dessa tal loja do segundo andar do Centro de Turismo que encontrei uma excelente vista panorâmica de Natal. Como o Centro de Turismo fica numa posição geográfica bem alta, no topo de uma colina, é possível ter esta visão da janela.



Mais exemplos de mercadorias vendidas no Centro de Turismo de Natal. Os corredores ficam cobertos com as peças.


A NIGHT NATALENSE

O melhor da noite natalense está em Ponta Negra. Mas, comparada com algumas outras capitais nordestinas, como Fortaleza, por exemplo, Natal é bem mais tranquila. O local considerado o melhor para se curtir a noite é uma rua chamada Manoel de Araújo, que fica justamente no bairro de Ponta Negra. Mas, sinceridade? Tirando três casas dessa rua, achei o resto bem parado, alguns restaurantes estavam quase que vazios e a continuação da rua estava bem deserta e escura (fui duas vezes nessa rua, numa quarta e numa quinta-feira; talvez em finais de semana os restaurantes que vi vazios fiquem mais interessantes...). Inclusive, há uma casa nessa rua que pode ser confundida com uma boate (de repente é também...), mas cuidado porque é para quem está a fim de outro tipo de programa, de sexo. As três casas da Rua Manoel de Araújo que achei interessantes independentemente do dia são: o Tavern Pub (considerada a melhor boate da cidade), o Bar Galo do Alto (um barzinho com música ao vivo em frente ao Taverna Pub) e a Casa de Taipa (uma gracinha de restaurante para comer as melhores tapiocas de Natal). Fiquei um pouco decepcionada com a rua porque eu esperava muito mais, já que a propaganda local é que o melhor da night natalense está lá. Outros lugares que não estão nesta rua e que são tidos como bons para se passar a noite são: a Cervejaria Via Continental (na Via Costeira), que tem os mais variados rótulos de cerveja (porém, cheque antes o horário de funcionamento da casa), o Centro de Turismo, para curtir o Forró com Turista (só se for uma quinta-feira) e a Casa de Forró Rastapé (conforme o marketing deles, é um "espaço arretado com 3 ambientes temáticos" e tem forró às quartas, sextas e sábados). Tem um lugar também que eu posso dizer por experiência própria que é muito bom e que fica em Ponta Negra, não muito longe da Rua Manoel de Araújo: o Decky Bar (fui num sábado - talvez isso também tenha feito alguma diferença). O interessante é sempre pedir por indicações na recepção do seu hotel porque pode haver um lugar novo que valha a pena conferir. 


O Taverna Pub tem formato de um castelo medieval e logo chama a atenção na Rua Manoel de Araújo. É bem bonito. A boate fica no porão do Lua Cheia Hostel, um albergue que tem ótimas referências, por sinal. Dizem que a maior balada de Natal rola no Taverna Pub.


A Casa de Taipa é para quem adora tapioca. O lugar é uma gracinha. Eles oferecem um cardápio com tapiocas de diversos tipos de recheio, doces e salgados. Nós não comemos aqui porque não somos fãs de tapioca; preferimos um barzinho com música ao vivo que fica quase em frente à Casa de Taipa, que é este que mostro abaixo.  


O lugar na Rua Manoel de Araújo que escolhemos para passar duas de nossas noites foi o Bar Galo do Alto. Veja nas fotos que é um lugar simples, mas era o mais animado da rua, tirando o Taverna Pub. Aliás, o Galo do Alto fica bem em frente a ele. A carne de sol de lá estava muito boa. E a música ao vivo também.


Esse é o Decky Bar, que também fica em Ponta Negra. Tirando o Taverna Pub (que não cheguei a conhecer por dentro), achei o Decky Bar bem melhor do que qualquer outra casa na Rua Manoel de Araújo. É um restaurante grande, com vários ambientes (um deles é uma boate) e com música ao vivo. A banda que estava tocando era muito boa. Fomos num sábado e o lugar estava bem cheio e animado. Antes de ir, procure saber sobre a programação do local porque, dependendo do dia, as coisas mudam.


 Paga-se um couvert artístico no Decky Bar (na época custou R$ 20,00 por pessoa) e você tem direito também a entrar na boate, se quiser (mas mesmo que não queira entrar na boate, paga-se o couvert por causa da banda que toca na varanda). Ficamos neste ambiente do restaurante, de onde se ouvia muito bem a música, e comemos alguns petiscos. O cardápio é variado e os preços razoáveis. O rolinho de macaxeira com camarão estava muito bom. Ele é grande e dá para duas pessoas.


Do lado de fora do Decky Bar, John Lennon e Mick Jagger (o Mick fica perto do John) estão sempre de bom humor para tirar fotos com você!


OS SHOPPINGS CENTERS

A capital potiguar oferece muitas opções de compras em seus mais diversos centros comerciais. O maior, mais bonito e mais novo shopping center é o Midway Mall. Mas o Natal Shopping, apesar de vir atrás de todos esses superlativos, ainda é o preferido de muitos natalenses. Esses são, então, os principais shoppings de Natal. Em seguida, vem o Praia Shopping, que é pequeno, mas tem sete cinemas e fica numa ótima região de Ponta Negra, de bastante movimento. Então é também um grande queridinho dos locais. Ele fica quase que ao lado do Shopping do Artesanato Potiguar, outro excelente reduto de compras, mas, nesse caso, especialmente de produtos regionais, portanto é onde podem ser adquiridos vários tipos de souvenirs. Ele é tão bom quanto o Centro de Turismo, apesar de não ter a mesma fama entre os turistas.    


MIDWAY MALL:

O Midway Mall é um dos shopping centers mais bonitos que já vi. Ele é espaçoso e tem lindos painéis de diferentes cidades do mundo espalhados por seus corredores. Só por isso, o shopping já conquistou meu coração J


O Midway Mall tem três andares e, é claro, conta com inúmeras lojas, além de cinemas, bons restaurantes e até supermercado e teatro. Veja nesta foto os painéis que ornamentam muitos corredores do prédio. 


Para quem, como eu, se amarra em fotografias de cidades, só elas já vão valer a visita ao shopping. 


A linda Veneza faz parte da coleção de fotografias do Midway Mall.


E o Rio de Janeiro, é claro, não poderia ficar de fora!


Os corredores do Midway Mall são bem amplos, o que é um grande ponto a favor deles, pois é estressante quando a gente fica batendo ombro com outras pessoas em shoppings de corredores apertados, em dias de muito movimento, não é mesmo?


O Midway Mall foi inaugurado em 2005 e tudo parece ainda tão novinho, com tudo brilhando de tão bem cuidado.


Um dos largos corredores do Midway Mall.


No terceiro piso do shopping Midway Mall estão os restaurantes maiores, ou seja, ficam separados dos restaurantes de comida rápida da Praça de Alimentação, que fica no segundo piso. O restaurante da foto é o Camarões Potiguar (no 3º piso), que é considerado o melhor de Natal para peixes e frutos do mar. Existem várias filiais (algumas se chamam somente "Camarões") em diferentes pontos da cidade e nós gostamos muito deste do Midway Mall. Ele é bem grande, tem atendimento simpático e oferece pratos criativos no cardápio. O prato é bem servido para duas pessoas.


Este é um dos corredores do terceiro piso do Midway Mall. À esquerda, o restaurante Piazzale Mall e, à direita, o Teatro Riachuelo, um dos maiores do Nordeste. No final do corredor, à esquerda, está o restaurante onde almoçamos, o Camarões Potiguar


O ambiente do Piazzale Mall do Midway Mall é uma graça e reproduz uma cantina italiana estilizada. Não chegamos a experimentar suas massas, mas o restaurante tem ótima reputação em Natal, pois vive ganhando premiações da Veja Natal "Comer & Beber".


A Praça de Alimentação, no segundo piso do shopping Midway Mall, é bem grande e oferece várias opções gastronômicas.  


NATAL SHOPPING:

O Natal Shopping não me agradou tanto quanto o Midway Mall, mas também é um excelente shopping center e foi o primeiro de Natal, inaugurado em 1992. Esta é a praça de alimentação, que também conta com uma filial do restaurante Camarões, porém de self-service


E, como falei no início, o Natal Shopping ainda é o preferido de muitos residentes, principalmente os da Classe A. Com certeza, também vale a visita.


PRAIA SHOPPING:

O Praia Shopping é um shopping pequeno, com uma praça de alimentação também pequena, mas tem 7 salas de cinema e, pelo que vi, um público principalmente jovem e, portanto, um lugar de alto astral (atenção, mulheres, há umas lojas de bijuterias nesse shopping muito interessantes). Sua praça de alimentação tem bastante movimento. Fica em Ponta Negra, perto da praia, de restaurantes e do Shopping Artesanato Potiguar (próxima foto). O turista não pode deixar de ir a um sem ir ao outro, pois estão praticamente lado a lado, na Av. Engenheiro Roberto Freire.  


SHOPPING DO ARTESANATO POTIGUAR:

O Shopping do Artesanato Potiguar é ótimo para comprar as lembranças da capital potiguar. Veja que são inúmeras lojinhas e os preços são muito bons. Aqui também há lojas de bijuterias muito bacanas. Há muitos tipos de artesanato local também. Fica em Ponta Negra.


SORVETERIAS

Tomar um sorvete depois daquela praia ou no finalzinho da tarde é uma delícia, não é? Por sorte, você encontra algumas sorveterias nas ruas de Natal, mas nenhuma delas me atraiu tanto com seus sabores e aparência quanto a Dolce Latte. E não fica só por aí, é claro. O sabor é daqueles de querer fazer a gente repetir. E por que não? Tomei um de chocolate branco que estava uma delícia. A consistência e o sabor dos sorvetes da Dolce Latte são bem parecidos com os dos sorvetes que tomei em Roma. Inclusive, a sorveteria diz que serve o "puro gelato italiano". A receita e o preparo devem ser os mesmos ou bem parecidos. E ainda fomos atendidos pelo dono italiano, que, por sinal, foi uma simpatia só.     


SORVETERIA DOLCE LATTE:

A sorveteria Dolce Latte fica ao lado do Shopping do Artesanato Potiguar. Provavelmente é a melhor sorveteria de Natal. Fica a dica.


LITORAL SUL

É claro que eu não me esqueceria de falar do litoral sul do Rio Grande do Norte e dos passeios clássicos que o turista pode fazer a partir da capital natalense. Búzios, Cotovelo, Madeiro, Tibau do Sul e Pipa são só alguns exemplos de maravilhosas praias que a gente encontra nesse roteiro. Mas são tantas fotos bacanas para mostrar que elas merecem uma postagem à parte - aqui

  
Praia do Tibau do Sul, um dos tesouros do litoral sul do Rio Grande do Norte.


LITORAL NORTE

Se o litoral sul do Rio Grande do Norte é lindo, o mesmíssimo pode ser dito do litoral norte. Genipabu (o passeio mais procurado em Natal), Muriú, Jacumã, entre outras obras-primas de nossa mãe natureza, fazem a alegria do turista. O litoral norte também merece uma postagem só para ele - aqui.       



Lagoa de Genipabu: parada obrigatória no roteiro do Litoral Norte do Rio Grande do Norte. A cerca de apenas 25 km do centro de Natal. 

*********


HOTEL QUALITY SUÍTES NATAL

Por fim, vou falar do hotel onde nos hospedamos em Natal, o Quality Suítes. O hotel fica na Av. Engenheiro Roberto Freire, em Ponta Negra. Não há nada dele que tenha me desagradado. Algumas coisas poderiam ser melhores, como, por exemplo, sua piscina, que é bem pequena, mas isso não foi problema para mim porque nem tive tempo de usá-la. Achei suas tarifas boas e o quarto para 5 pessoas excelente. A única coisa que eu não gosto desse hotel e de nenhum outro que tem a mesma política é o fato de exigirem o pagamento integral na hora do check-in. Tudo bem que a gente vai ter que pagar tudo no final, de qualquer maneira, mas acho deselegante. Contudo, muitos hotéis têm agido dessa forma. Os atendentes do Quality Suítes são muito simpáticos. Dou a eles nota 10. E ao hotel, como um todo, dou nota 8.


Este é o salão do café da manhã do Hotel Quality Suítes Natal. O salão é um pouco maior do que vemos aqui. O café da manhã não é excelente, mas também não quer dizer que não seja bom. Apenas não tem muitas variedades, mas oferece sucos, bolos, pães, coalhadas, tapioca feita na hora, entre outros. O salão do café da manhã fica no mesmo nível da recepção, o que eu achei um pouco estranho, mas também não me senti incomodada com isso. 


Ficamos no apartamento 906, numa Suíte Superior Queen Não Fumante (dá para até 5 pessoas). Este apartamento é ótimo porque tem dois quartos independentes (cada um com sua porta, ou seja, mais privacidade) e dois banheiros, sendo um uma suíte. Este é o quarto da suíte. Estava tudo bem arrumadinho e limpo.


A cozinha do apartamento 906.


Vista parcial da sala do apartamento 906. Uma coisa que adorei também deste apartamento do Quality Suítes é que tem muitos armários. Tanto na sala quanto nos quartos e na cozinha.


Um dos armários da sala do apartamento 906.


Este segundo quarto do apartamento 906 não tem o banheiro dentro dele, mas fica mesmo ao lado. Há 3 televisores de LCD ao todo. Um em cada quarto e um na sala.


Este é o banheiro da suíte. Ah, sim, uma crítica ao hotel aqui: vazava água deste box para o resto do banheiro. Tomara que eles já tenham consertado esse problema bem chato.


E esta é a varanda e vista do apartamento 906 do Quality Suítes Natal. Vista para a Praia de Ponta Negra e o Morro do Careca.


A maioria dos hotéis em Ponta Negra fica no topo de uma colina, como é o caso do Quality Suítes Hotel, apesar dele ser "de frente" para a praia. É preciso descer algumas ladeiras (veja uma das ladeiras na foto, à esquerda)  e, no finalzinho, degraus de escada. Esta é uma das vistas que tivemos da varanda do nosso apartamento. Veja que bem em frente tem o Mercado de Ponta Negra, que conta com uma loja que vende os mais variados tipos de castanhas. Quem gosta, não pode deixar de ir lá e o bom é que você pode degustar.


E este é um outro ângulo da vista que tivemos da varanda do apartamento 906 do Quality Suítes Natal. O hotel, além de ficar perto do Morro do Careca, fica muito perto também da Rua Manoel A. B. de Araújo, aquela que é considerada a melhor para a night. Nós íamos e voltávamos dessa rua tranquilamente a pé e de madrugada.


Fuso horário:

O fuso horário de Natal é de 1 hora em relação ao horário de Brasília. 


Quantos dias passar em Natal?

Se a intenção é ficar só na capital potiguar, dois dias bastam para fazer os passeios essenciais. Se for explorar além dos limites urbanos, são necessários mais dois dias, no mínimo: um para o roteiro clássico do litoral norte (que inclui Genipabu) e um para o roteiro clássico do litoral sul (que inclui Pipa). Mas, se tempo não for o seu problema, monte seu roteiro com mais dias incluindo tudo que o RN tem de bom para oferecer, por exemplo: a Praia de Maracajaú, conhecida como o "Caribe do Rio Grande do Norte", por causa de seus parrachos, Punaú, Perobas, Galinhos, Barra do Cunhaú, São Miguel do Gostoso etc. As agências de turismo têm várias opções de passeios de um dia para esses e outros lugares, mas alguns lugares são tão bacanas que vale a pena passar um par de dias neles, como é o caso de Pipa, que tem um centrinho bem bonitinho e movimentado. Alugar um carro também é uma boa para lhe dar mais liberdade.


Outros passeios:

Fora as praias da Grande Natal e as outras atrações que já citei nesta postagem, há também o Aquário de Natal, que oferece a oportunidade de mergulhar com tubarões! Olha que máximo!!! Claro que você faz isso acompanhado de um instrutor, em horário agendado, e paga um valor que não está incluído no ingresso do parque. E há também os museus (Museu Câmara Cascudo etc.) para conhecer, as igrejas, o Teatro Alberto Maranhão e os bairros Cidade Alta e Ribeira. 

Agências de turismo:

Duas agências muito conhecidas em Natal para os passeios às praias e city tours são a Marazul e a Natal Vans.


Bons restaurantes:


Para comida típica, o Restaurante Mangai (em Lagoa Nova) é tido como o melhor da capital; o Tábua de Carne (em Capim Macio) serve a carne de sol com macaxeira mais gostosa de Natal; o Camarões (em endereços diversos) é o melhor restaurante para comer, adivinha o quê; e a Casa de Taipa (em Ponta Negra) serve as melhores tapiocas.    



Táxi:


Não há metrô em Natal. Quem não gosta de encarar um buzum, o táxi é uma ótima opção de locomoção. Do aeroporto até o Hotel Quality Suítes (em Ponta Negra),  pagamos pela corrida do táxi credenciado o valor de R$ 43,00 (em janeiro de 2014) e pudemos pagar com cartão de crédito. O beach tour de táxi que fizemos e que incluiu as praias urbanas (sem contar Ponta Negra e Redinha) desde a Via Costeira até a Praia do Forte (com tempo para visitar a fortaleza), com embarque e desembarque em nosso hotel, custou cerca de R$ 120,00 (acerte antes o valor com seu motorista).


Veja também as seguintes postagens:

* Litoral sul do RN

* Litoral norte do RN 


Site oficial de turismo em Natal:

turismo.natal.rn.gov.br


Data desta viagem: janeiro/fevereiro de 2014


9 comentários:

denise disse...

Oi, Regina!
Assim como vc tbm acho q viajar é o gde barato da vida. É o meu prazer predileto. Pena q não dá p/ fazer isso o tempo td. Mas qdo dá, vamos aos passeios.
Conheci seu blog no meio do ano passado e chguei a te fazer uma consulta sobre um passeio no Chile e tempos dps te mandei uma dica (simples eu sei) mas q quis compartilhar c/ vc sobre o trajeto Terefri do Rj a Friburgo.
Em janeiro é mês de férias e cheguei a dar uma busca no blog p/ ver se falava sobre a Colômbia. Apesar de não encontrar, fizemos o passeio e foi fascinante! Bogotá é linda e Cartagena , em especial a cidade amuralhada, é um sonho... Vale a pena, viu? (Fica a dica tbm.)
Meu marido não pode tirar férias no meio do ano, mas como ele trabalha em indústria com horários de escalas, tem 2 dias de reserva na casa por horas extras q fez e gostaríamos de fazer um passeio em junho ou julho. Como tem q ser passeio só de fds (tipo vai na 6ª e volta na 2ª) eu tô s/ ideia de onde ir pq por perto acho q já dizemos tds os passeios q nos interessavam. Será q vc tem uma sugestão a nos fazer? Alguma cidade do norte, nordeste ou outra qualquer q dá p/ conhecer em + ou - 3 dias?
Vou aguardar sua resposta p/ ver se nos dá uma inspiração.
Mais uma vez obrigada.
Beijhão.
Denise.

Regina Mendes disse...

É verdade, Denise, se eu pudesse também não faria outra coisa a não ser viajar rsrs Eu lembro de você e da dica que você me deu :-) E muito obrigada também pela segunda dica. Com certeza, Bogotá e Cartagena já estão na minha lista de próximos destinos. Você tomou a vacina contra a febre amarela para ir lá? Olha, as capitais nordestinas (Maceió, Natal, Salvador, Fortaleza, Recife...)você consegue fazer em 2 dias inteiros. Mas só dentro dos limites urbanos das capitais mesmo, sendo que em Natal acho muito mais legal fazer os passeios do litoral do RN. Mas junho e julho também não são épocas ideais para se conhecer o nordeste, né? Dentre estas capitais, eu iria para Recife. Passaria um dia fazendo passeios pela cidade e um dia em Olinda (que, na verdade, você faz em meio dia). Pena que eu não tive tempo de escrever sobre meu roteiro em Recife e Olinda, mas as fotos estão aqui no blog. Tirando o nordeste, eu apostaria em Campos do Jordão (não sei se você já conhece) e Gramado. Esses destinos são ótimos para o inverno. Gramado é super romântico e você conhece tudo em dois dias (será que você já conhece também?). Enfim, entre esses lugares todos que citei, eu iria para Gramado. O que me diz? Beijinho!

denise disse...

Oi, Regina! Valeu pela resposta rápida. Respondendo sua pergunta, sim, tomamos a vacina contra febre amarela e foi bom pq ela tem validade por 10anos e há outros lugares em q se precisa dela para ir. Assim, já fica feito.
Campos do Jordão e Gramado realmente são maravilhosas, as 2, q aliás se parecem. Mas gostaria de conhecer lugar em q ainda não fui e daí acho q a opção é msm subir p/ o nordeste. Como vc disse q de lá a melhor opção no nosso caso seria Recife, vou dar uma estudada nessa possibilidade. Dps te conto.
Beijos.

Regina Mendes disse...

Nesse caso, eu sugiro Recife mesmo. Acho que de todas as cidades do nordeste que eu conheci, Recife foi a que eu mais gostei. Ok, depois me conta sobre o que você decidiu. Vou ficar curiosa rsrsrs Beijo.

denise disse...

Olá, Regina! Sou eu, a Denise, de novo.
Este tem sido um ano difícil de provações para nós. A minha mãe teve um problema cardíaco mto sério e 15 dias dps, a minha sogra tbm. As duas estão melhorzinhas, mas os casos são delicados e exigem mto cuidado, trabalho e gasto. Portanto, passeios e viagens a zero! Para mim isso é horrível pq além do desgaste físico e emocional, preciso alimentar minha essência com passeios como se precisa de água e comida.
Agora, neste momento, estou de cama com uma bruta virose como acho q nunca tive outra igual. Completamente sem força para sair da cama, febrão e mta dor no corpo inteiro.Como simpatizo com vc e gosto mto de seu blog, suas fotos, suas dicas, sua redação para explicar td, entrei nele p/ sonhar um pouquinho c/ um passeio. rsrsrsrs
Resolvi então te mandar esta msg.
Td de bom p/ vc e continue c/ as viagens e o blog.
Bjs.
Denise.

Regina Mendes disse...

Oi, Denise! Eu sou assim mesmo como você!!! As viagens me alimentam. Quando vejo que não vai dar para viajar (ou fazer um passeio fora da rotina), caio na depressão rsrs É sério mesmo. Mas, puxa vida, muito ruim o que você tem passado este ano. Têm épocas na vida da gente que acontece um monte de coisa ruim ao mesmo tempo. Tenho mestrado nisso! rsrs Mas depois tudo melhora e só vêm coisas boas. Pode apostar! Recentemente, fiz uma postagem sobre o Instituto Moreira Salles. Chegou a ver? Já conhece? Eu gostei muito do local e acho um passeio legal. Você é do Rio, né? E mês passado eu dei um pulinho na Europa (foi só um pulo mesmo, pois fiquei só 8 dias lá, mas foi o que deu, mas o suficiente para me dar uma injeção de ânimo para aguentar até a próxima viagem rsrs)e fui a Lisboa e Berlim. Daqui a alguns dias vou publicar sobre essa viagem a Lisboa e depois faço o mesmo com Berlim, mas com Berlim ainda vai demorar, pois eu levo muito tempo até fechar uma postagem grande. Ah, em janeiro vou para Fernando de Noronha. Finalmente consegui comprar(com muita antecedência)as passagens aéreas para lá com meus pontos SMILES, então não paguei nada por elas. Mas mesmo assim é uma viagem cara, pois a hospedagem é cara e tudo lá também é. Mas não pagando nada de passagem, não dá para resistir, né? Melhoras pra ti, sua mãe e sua sogra. Minha mãe vive me dando sustos também, mas a vida é assim mesmo. Beijão.

denise disse...

Oi, Regina!
Q legal vc ter ido a Lisboa e Berlim! Meu sonho é conseguir ir um dia (ou vários rsrs) à Europa. Sou fascinada por História e lá é história pura; o início de td.
Vou ficar aguardando suas próximas postagens p/ "viajar" c/ elas.
Fernandode Noronha tbm parece ser o paraíso. Acho q vc vai curtir mto.
Sou do Rio sim, mas nunca fui ao Inst. M. Salles. Fico c/ a dica p/ qdo der.
Na minha última volta por aqui, conheci foi a Casa Daros em Botafogo. Como vc gosta de atrações culturais tbm, acho q pode ser uma dica. Eu gostei.
Sabia q vc conseguiria entender o q tenho sentido, por isso te escrevi.
Valeu pela força.
Bjos.

Regina Mendes disse...

Valeu pela dica, Denise! Não sabia sobre a Casa Daros e me pareceu ser bem interessante. Acabei até pesquisando um pouquinho agora na internet. Vou conferir qualquer dia desses. Também gosto muito de história. Geralmente quem gosta de viajar, como a gente, gosta de história. Bjs.

Regina Mendes disse...

Denise, acabei de postar sobre Lisboa. Bj.

http://travelexperiencesreginahelena.blogspot.com.br/