OS SEGREDOS DA LAGOA DE MARAPENDI: PASSEIO TURÍSTICO, RESTAURANTES, JACARÉS E CAPIVARAS

Correção: Assim como muitos cariocas, eu achava que o local que aqui descrevo era a Lagoa de Marapendi, que, a propósito, também fica na Barra e também oferece tours de barco. Mas o passeio que fiz foi na Lagoa da Tijuca ou Lagoa da Barra da Tijuca. Esse sim é o nome correto do local. Obrigada pelo alerta, Ia Orana! Então está feita a correção no título desta postagem.

Todo carioca conhece a Lagoa de Marapendi Lagoa da Barra da Tijuca, mas posso apostar que muitos não sabem o quanto de bom ela esconde. E foi pensando em mostrar esse lado secreto de lá que eu resolvi voltar ao local para repetir um "passeio turístico" que eu tinha feito há mais de doze anos. E quando cheguei lá acabei me sentindo como um daqueles cariocas que se surpreendem ao ver um interessante pedaço de sua própria cidade que nunca visitaram ou que não sabiam o quanto havia mudado. Eu me encaixei nesse segundo caso. Sim, porque a Lagoa de Marapendi Lagoa da Tijuca não tinha tantos restaurantes e bares animados à beira do canal. Logo eu, que estou sempre à procura de algo diferente para curtir a Cidade Maravilhosa, levei tanto tempo para redescobrir o lugar. É, com certeza, um programa diferente pegar um barco para ir almoçar com a família no movimentado Bar do Cícero, por exemplo, ou um programa romântico - e também diferente - ir jantar no Restaurante Laguna. Os dois lugares ali, às margens do canal, com uma vista que é, no mínimo, diferente. O primeiro é informal e o segundo mais sofisticado.

O "passeio turístico" ao qual me refiro é uma travessia feita num trecho da Lagoa de Marapendi Lagoa da Barra da Tijuca a bordo de uma balsa (chalana), que é um barco grande e simples que faz também a travessia de moradores e trabalhadores da região e de clientes dos bares e restaurantes. Quem está no barco só para o passeio turístico vai ficar mais tempo dentro dele, pois, para esse, a viagem continua quando todos já desembarcaram em seus destinos. Esse passeio turístico nos custou 20 reais por pessoa e durou cerca de 30-40 minutos já contando a volta. Achei caro porque é um passeio rápido e simples, mas eu também bobeei, pois poderia ter negociado (você acerta com o próprio barqueiro), o que parece ser muito viável ali. Para os passageiros "normais", a travessia de ida e volta custa em torno de oito reais (para o Bar do Cícero, por exemplo), pois, dependendo de onde se queira chegar, leva uns cinco a dez minutinhos aproximadamente (já contando com os desembarques de outras pessoas em paradas distintas). Mas o barato desse passeio turístico é que, para quem nunca fez, é algo diferente (olha eu de novo não conseguindo fugir desse adjetivo) e aprazível, além de ser, até certo ponto (para crianças, eu digo "com certeza"), divertido, porque avistam-se jacarés e capivaras. Mas é bom lembrar que nem sempre "as capivaras dão as caras", então já vá ciente disso para não se decepcionar depois.  

Nesse tal passeio turístico, passamos por sete ilhas, mas duas delas (a Ilha do São Jorge e a Ilha da Fantasiasó vimos um pouco de longe. A Ilha de São Jorge não tem nada de mais, pois nosso barqueiro e "guia turístico" só nos apontou uma casa. E a Ilha da Fantasia tem casas abandonadas, mas já teve seu tempo de glória com muitas boates bombando. Fiquei me perguntando como algo tão legal pôde simplesmente acabar. 

O ponto dos tais barcos fica entre a Unimed e o Posto Shell, ao lado do shopping Barra Point. Não acho que valha a pena sair de casa só para fazer o passeio turístico pela Lagoa de Marapendi Lagoa da Barra da Tijuca, mas isso também depende do nível de exigência de cada um. Se você nunca fez esse passeio, o mais proveitoso é usá-lo como um complemento de seu programa. Por exemplo, para quando você for almoçar numa das ilhas da lagoa. Eu, particularmente, havia ido almoçar no Restaurante Turino, que também tem uma vista linda, mas o acesso a ele se dá pelo Barra Point. Então, depois do almoço, deixamos nosso carro no estacionamento do shopping e fomos pegar o barco ao lado do Posto Shell (que fica ao lado do Barra Point). 

Muitos restaurantes e bares na Lagoa de Marapendi Lagoa da Barra da Tijuca fecham para eventos e isso eu adorei saber, pois temos aí mais uma opção para comemorar um aniversário, por exemplo. O Restaurante Laguna é um dos que oferecem esse serviço, inclusive para casamento, e imagino o quão lindo deve ficar uma cerimônia ali. Dá só uma olhada no site deles. Já uma comemoração informal pode ser realizada num bar. Mas é preciso ir à região para conhecer os estabelecimentos e ver se aquele que você gostou fecha para eventos e quanto cobra. O nosso barqueiro me falou que lá há uma casa de festas que cobra um valor bem mais atraente do que muitas que vemos por aí.

E, por último, preciso dizer que fizemos esse passeio num sábado, um dia em que esse trecho da Lagoa tem outro astral, com muitas pessoas enchendo de alegria os restaurantes e bares. Quem prefere essa agitação, deve escolher esse dia, mas, dependendo do lugar, pode ser preciso fazer reserva. Quem prefere sossego deve evitar finais de semana, mas, se for para comer num dos restaurantes do canal, melhor se informar antes sobre o horário de funcionamento nos dias úteis.

Vamos às fotos do "passeio turístico"!


Iniciando nosso passeio na Lagoa de Marapendi Lagoa da Barra da Tijuca. Ao fundo, a Pedra da Gávea.


Dentro do barco, avistamos o restaurante Turino (à direita, onde vemos os toldos), do shopping Barra Point, que foi onde tínhamos acabado de almoçar. (Nota de atualização: o Turino continua nessa área do Barra Point, porém do outro lado.)



Embarcamos junto com as pessoas que estavam fazendo apenas a travessia para um ponto específico da lagoa (bar, residência etc.)



Nesta foto, vemos o ponto de embarque dos barcos que fazem a travessia na Lagoa da Barra.



Início do passeio pela Lagoa da Barra. Mais adiante é que as coisas começam a ficar mais interessantes.



Dentro do barco e nas águas da Lagoa da Barra da Tijuca. À frente, vemos outros barcos fazendo o embarque/desembarque de passageiros.



Ao longe, já vemos bonitas casas às margens da Lagoa da Barra.



Mas, para morar às margens da Lagoa da Barra da Tijuca e para ter maior conforto, o melhor é ter seu próprio barco. E muitos moradores têm. Só se chega às residências de barco, não há acesso de carro. 



 E olha só que legal! Um bar estava sendo usado exclusivamente para a realização de uma festa de aniversário. 



Quando chegamos mais ou menos na metade da travessia da Lagoa da Barra, começamos a ver vários bares num clima bem animado.



Os bares da Lagoa da Barra são em estilo rústico. São simples, mas devem ser bons porque quase todos estavam cheios. Preciso conferir o mais rápido possível! :-) Este, o Bar do Cícero, na Ilha Primeira, era o mais movimentado.



Veja nesta foto como são as chalanas que fazem a travessia na Lagoa da Barra. Estávamos em uma exatamente assim. À direita, o Restaurante Caiçara.



O bar à direita é o Cais Bar.



Passageiros embarcando num barco após deixarem um bar.



E quando todos os passageiros desembarcaram em seus destinos, ficamos com o barco só para a gente, pois éramos os únicos aqui a fazer o tal passeio turístico.  



Veja como é o interior do barco. Esse rapaz é o barqueiro e nosso "guia turístico".



E então nosso barco seguiu adiante, rumo aos jacarés!



Os jacarés ficam nesse canal, o Canal dos Jacarés. O cheiro daqui não é dos mais agradáveis.   



E logo avistamos alguns jacarés. Vimos todos mais ou menos do tamanho deste, mas o nosso barqueiro nos disse que há épocas em que aparecem uns bem grandes. Algumas vezes ficava difícil enxergar esses jacarés porque eles nadavam próximos a esses galhos, então, por causa da cor semelhante, a gente acabava os confundindo com galhos.



À procura de jacarés e capivaras. No caminho, muitas garças.



E não é que demos sorte das capivaras terem dado o ar de sua graça? Esta aqui estava comendo as folhas das árvores. Vimos outra um pouco mais adiante, mas parece que elas ficam com medo da gente e se escondem dentro da mata.



Hora de voltar, pois depois do ponto onde avistamos as capivaras, o barco não pode avançar. 







No caminho, vimos um "barco de pirata", que era um barato. Mas não se anime, esse barco é particular, não é usado para passeio turístico.



Depois o barqueiro nos levou a outras ilhas da Lagoa da Barra.



E então começamos a ver uma casa mais bonita do que a outra. Segundo nosso barqueiro, há alguns famosos que têm casas aqui. Mas não pense que há só casas luxuosas na Lagoa da Barra da Tijuca. Há casas muito simples também, algumas até em estado de abandono.



Casa de madeira às margens da Lagoa da Barra.



Também descobrimos uma pousada na Ilha da Gigoia, a maior do arquipélago. Parece ser perfeita para jovens. Chama-se Pousada Miami. Interessou-se? Pesquisando na internet, descobri que ela é anunciada aqui, no Booking.com.


Pousada Miami, na Ilha da Gigoia.



Outro bar às margens da Lagoa da Barra, ao lado da Pousada Miami. Chama-se Capriccio Cantina & Bar. Segundo anunciam na porta, servem petiscos e almoço por quilo e pratos executivos.



E um pouco depois da pousada nosso passeio turístico chegou ao fim. Para mim, valeu muito a pena porque me abriu o apetite para voltar aqui e curtir o clima bucólico, comendo uns pasteizinhos de camarão e vendo a vida tranquilamente passar no vaivém dos barcos. Voltarei.

14 comentários:

Rosely disse...

Olá, gostei dos seus registros, pena ver tanta poluição. Fiquei na expectativa de uma parada num dos bares para saber como são os preços e a qualidade.

Regina Mendes disse...

Oi, Rosely. Depois desta visita, eu voltei lá duas vezes para experimentar os restaurantes. Só não postei as fotos ainda e os comentários porque não tive tempo. Os restaurantes são simples mas pitorescos. A visita vale mais pela experiência do que pela comida. A balsa que faz a travessia também é bem simples e dependendo da situação, você pode até se molhar. Digo isso porque da última vez um cara "sem noção" passou de lancha junto à balsa e acabou jogando água em algumas pessoas que estavam perto (meu sobrinho, por exemplo...). Experimentei primeiro o restaurante Cícero. Fui na época do Natal e estava bem cheio (casais, grupos em confraternização etc.). Serve petiscos em geral (pasteis etc.) e um menu variado (peixe, filé de frango, bife etc.). Preços e comida razoáveis. Depois fui ao Cais Bar e lá descobri que também é uma pousada. Também oferece um menu variado. Lá eu comi um peixe frito (anchova) com acompanhamentos que estava muito bom. Dava para duas pessoas e custou cerca de R$ 80,00 (há 3 meses). Já o linguado que eles serviram achei um pouco salgado. O Bar do Cícero e o Cais Bar têm preços semelhantes, mas achei o primeiro mais bonitinho. Se quiser um restaurante mais sofisticado, há o Laguna, mas ele é bem mais caro e é preciso fazer reserva. Eu ainda não fui lá. Abraços!

Rosely disse...

Obrigada, Regina! Vc foi muito gentil. Eu imagino mesmo que o melhor é a chalana, correndo o risco de se molhar!

Regina Mendes disse...

Para o meu sobrinho, criança, essa parte foi uma aventura! rsrsrs

Carlos Oliveira disse...

Passeio de barco pelas ilhas.
Interessados ligar para o número
(21)979647638
Falar com Marinheiro Carlos Noah

ia oarana blog disse...

Olá Regina. Gosto muito do seu blog e tenho lido seus texto.
Este post sobre a lagoa está ótimo e dá vontade de ir fazer esse passeio. Gosto muito do bar Caiçara na ilha da Gigoia.

Vim deixar uma dica: essa lagoa por onde você fez o passeio é a Lagoa da Tijuca que dá nome ao bairro Barra da Tijuca.

A Lagoa de Marapendi fica na mesma região, mas é outra. Falei sobre ela no meu blog: http://iaorana.com.br/lagoa-de-marapendi/

abraços!

Regina Mendes disse...

Obrigada pela informação! Engraçado que todo mundo se refere ali como Lagoa de Marapendi rsrsrs Visitei seu blog e gostei muito. Suas fotos são lindas. Vi a postagem do Algarve e amei as fotos daquela praia. Quero voltar a Portugal em breve, já conheço muito do país, mas ainda não tive a oportunidade de ir ao Algarve. Abraços!

Revoltada disse...

E como tudo no RIO vira exploração e safadeza quero registrar minha revolta com os barqueiros e Unimed q cobram de moradores q vem de fora R $20/pessoa pra fazer um passeio nos manguezais ferimentos da Ilha quando a ida seria R $5. Me senti ludibriada!

Revoltada disse...

Fui ludibriada pois os barcos e taxiboata estao explorando moradores do canal marapendi ao cobrar $20/pessoa pra fazer um passeio sem vergonha em meio aos manguezais fedorentos. Quando o ingresso da Unimed pras ilhas e só R $5! Isto e Brazil país da corrupção e desonestidade...

Revoltada disse...

Pena q num país lindo como este so tenha corrupção e desonestidade e os barqueiros explorando moradores arrependi cobrando $20/pessoa pra ludibriar levando a manguezais fedorentos das lhas!

Revoltada disse...

Barqueiros ludibriado moradores do marapendi

Regina Mendes disse...

Entendo sua revolta e acho que é bom deixar registrada a sua reclamação para que os barqueiros repensem as taxas que cobram. Cobraram o mesmo preço para mim, mas esse valor é para o que eles chamam de "passeio turístico". É um valor maior do que cobram, por exemplo, para quem vai para a Ilha da Gigoia, que é pertinho. De qualquer maneira, concordo com você que esse passeio é caro, como expliquei na postagem, pois é rápido e simples, mais interessante para crianças. Por isso sugeri fazê-lo como um complemento de alguma outra coisa para quem já estivesse na área. Por exemplo, acho que vale super a pena ir a um dos barzinhos da ilha. E dali então dar uma esticadinha até o manguezal, que, diga-se de passagem, no dia de meu passeio, não estava tão "fedorento", apesar de o lugar ser, sem dúvida, poluído. Obrigada pelo comentário.

Carla Mari disse...

Ótimo post! Nem sabia que haviam restaurantes assim na margem ��. Um beijo!

Regina Mendes disse...

São bem pitorescos, Carla. Espero que eles continuem bons, pois já faz um tempo que não vou lá. Beijo!