PRAIA DE GRUMARI: UM PARAÍSO A DOIS PASSOS DE OUTRO PARAÍSO


Há quem prefira a Praia de Grumari. Há quem morra de amores pela  Prainha. As duas ficam numa reserva ambiental, longe da especulação imobiliária. As duas são quase desertas de segunda a sexta, principalmente fora do verão. Uma é bem maior do que a outra - a de Grumari. As duas são inacessíveis pelo transporte público e bem afastadas do centro da cidade. Ambas têm águas próprias para banho. Compará-las nesses termos é fácil; o difícil é dizer qual das duas é mais bonita. Não que as duas vivam numa competição, mas é que elas estão ali juntinhas, uma após a outra. Na dúvida, o turista deve visitar as duas e tirar suas próprias conclusões, se é que isso é preciso. Talvez seja só para quem quiser voltar e escolher uma delas para ficar. Eu tenho a minha preferência - gosto (de)mais da Prainha. Mas a Praia de Grumari não fica muito atrás não. Aliás, ela fica ali, a dois passos do paraíso, como diria Evandro Mesquita. Mas a Praia de Grumari também é paradisíaca, outra comparação de igualdade que não dá para deixar de fazer entre as duas.

Hoje vou falar da Praia de Grumari. A da Prainha já falei nesta postagem aqui. Para chegar à Praia de Grumari a partir da Barra da Tijuca, é só pegar a direção do Recreio dos Bandeirantes e acessar a Avenida Estado da Guanabara. Seguindo por essa avenida, você vai ver primeiro a Prainha e logo depois a Praia de Grumari. Há muito espaço para estacionar seu carro na Praia de Grumari; entretanto, nos finais de semana de sol (principalmente no verão), só é permitido subir um certo número de veículos para não haver superlotação, então é preciso chegar bem cedo. Nos outros dias, a praia fica deserta (nos meses de verão, a frequência sempre vai ser maior). 

E, por ficar quase que vazia, algumas pessoas aconselham a evitar visitá-la/frequentá-la de segunda a sexta por motivo de segurança. Bem, eu raramente vou à Praia de Grumari (por causa da distância), então não posso emitir uma opinião a esse respeito, mas as fotos desta postagem foram tiradas numa quinta-feira e não senti nenhum clima de insegurança. O melhor é estacionar seu carro onde há mais movimento, e foi isso que fizemos. Deixamos nosso carro no final da praia, ao lado do quiosque/restaurante Flor do Grumari. Creio que ali seja o melhor lugar para ficar porque, além de ter mais gente, há uma ampla área para estacionamento, muitas mesas e cadeiras na areia, posto de salva-vidas, além do restaurante. 

Estando em Grumari, esqueça do seu celular; ele provavelmente não irá pegar. Mas, para que celular? Você vai mais é querer se esquecer do mundo ali. De vez em quando faz bem. E, se você for da turma do nudismo, tem um lugar ali pra você: a Praia do Abricó. Ela fica em Grumari, logo após a Prainha (sentido Barra de Guaratiba). Uma placa em frente a umas rochas indica que a partir daquele ponto a praia é de nudismo. E para atravessar aquele ponto, tem que tirar a roupa.

Abaixo, conto como foi nosso dia de passeio numa quinta-feira de setembro na Praia de Grumari. 



Depois de termos feito a trilha para o Mirante do Caeté, pegamos o carro no estacionamento em frente à Prainha e fomos até a Praia de Grumari, pois fazia muitos anos que eu não ia lá. Da Prainha até este ponto final da Praia de Grumari (em frente ao restaurante Flor do Grumari) são uns 10 minutos de carro. 



A Praia de Grumari é bem maior do que a Prainha e bem mais deserta também nos dias úteis. Neste dia, o céu estava bem nublado, o que também contribuiu para termos uma praia praticamente só para a gente. Durante os finais de semana e principalmente no verão, a situação muda bastante com os inúmeros banhistas que a procuram. Este cantinho da Praia de Grumari, em frente ao quiosque/restaurante Flor do Grumari, parece ser um dos mais movimentados. Conta com alguns quiosques e várias mesinhas e cadeiras na areia. Repare que há também um posto de observação de salva-vidas. E mesmo hoje, num dia quase sem ninguém na praia, o salva-vidas estava lá.   



A deserta Praia de Grumari.



O que encanta na Praia de Grumari é seu aspecto ainda selvagem, pois está em uma reserva ambiental.



Veja que o estacionamento ao lado do quiosque/restaurante Flor do Grumari  é grande.



E já que o restaurante Flor do Grumari é uma referência na praia, fiz questão de entrar para conhecer. Veja que o restaurante orgulha-se dos seus pastéis.



Achei muito agradável e bonito o ambiente do Flor do Grumari. As cabanas de piaçava e as plantas tornam o espaço bem aprazível e em harmonia com o lugar. Oferece mesas e cadeiras em sua varanda. 



Eles servem almoço e petiscos. Olha, me deu muita vontade de ficar aqui mesmo para almoçar. O lugar estava vazio e muito convidativo. Vai, com certeza, ficar para a próxima. Mas a questão é que eu já havia decidido almoçar no Point de Grumari.



Então, pegamos o carro e continuamos seguindo em frente.



E pouco antes de chegarmos ao restaurante Point de Grumari, paramos no Mirante de Grumari, que possui algumas vagas de carro bem em frente.



O Mirante de Grumari tem uma vista bonita, mas a vegetação na frente esconde muito dela. Então, eu esperava mais desse mirante. 



Depois de alguns minutos no Mirante de Grumari, continuamos seguindo de carro pela Estrada do Grumari e num instante chegamos ao restaurante Point de Grumari



O Point de Gumari é especializado em frutos do mar. Ele é bem grande e muito tranquilo nos dias úteis. Quando chegamos (numa quinta-feira), por volta de umas 15:00, havia algumas poucas pessoas almoçando aqui, mas, quando saímos, o restaurante estava praticamente vazio, só com uma mesa atrás da gente ocupada. Mas já me disseram que ele fica lotado nos finais de semana, principalmente naqueles que dão praia.



Esta é uma outra área do Point de Grumari, que me pareceu ser uma extensão.


E esta área também oferece uma vista maravilhosa.



Estou falando desta vista aqui, da Restinga de Marambaia e, lá no final, a Praia de Marambaia. Então, vir comer no Point de Grumari é aliar o prazer da comida com o prazer de ter a companhia desta paisagem. E, se você for num dia assim, de pouco movimento, também usufruirá de um momento de muita paz, sendo perfeito para quem procura um recanto com mais privacidade.   



O restaurante Point de Grumari serve petiscos e refeições. Experimentamos os pastéis de camarão e de siri e gostamos muito.



Para o prato principal, pedimos um dourado, que veio acompanhado de pirão, molho de camarão, purê de batata e arroz branco. O peixe vem quentinho na chapa e também estava muito bom, bem macio mesmo. Só achei um pouco sem tempero, mas acho que era assim mesmo, pois o molho de camarão vai por cima. A maioria dos pratos do Point de Grumari dá para duas pessoas e você pode conhecer o menu através do site. Mas não são baratos não, viu? Os pratos de peixes custam mais ou menos a partir de R$94,00. Tudo bem que este valor não é nenhum absurdo, mas há pratos bem mais caros. Total da nossa conta: R$132,00 (já com os 10%). O que pedimos: 3 pastéis, o dourado e 2 refrigerantes.



Depois do relaxante almoço, voltamos para casa, fazendo todo o percurso inverso. Veja um trecho da Estrada de Grumari (mão-dupla).



No retorno, fiz uma paradinha aqui para mostrar como é a estrada da Praia de Grumari: de paralelepípedos e com muito espaço para os carros nesses acostamentos de terra. Mas nos finais de semana de muito sol, a situação muda. No Google Maps, dá bem para ver como esta rua (Av. Estado da Guanabara) fica quando está lotada (clique aqui e veja). Repare também como o lugar preserva sua natureza "selvagem".



Estrada em frente à Praia de Grumari. Por toda esta extensão, há lugar para você deixar seu carro e também alguns quiosques que só devem funcionar no verão, pois encontrei todos fechados e com aspecto de abandonados. Exceções você encontra, por exemplo, mais no final da praia, como o atraente Flor do Grumari



Uma das entradas para a paradisíaca e selvagem Praia de Grumari. Se quiser uma praia para chamar de sua, venha num dia útil.



Vista da extremidade direita da Praia de Grumari.



Vista da extremidade esquerda da Praia de Grumari.



Na volta da Praia de Grumari, em direção à Prainha, há uns pontos ideais para você parar e tirar fotos da paisagem.


Aliás, vou lhe dizer uma coisa: uma das vistas mais incríveis do Rio de Janeiro, na minha opinião, é a que se tem justamente quando você está descendo da Praia de Grumari, em direção à Prainha. Você vai vendo o mar ganhando maior visibilidade curva após curva...



...assim como as praias, à sua frente.



Mas é neste ponto, quando se está quase chegando à Prainha, que a vista é a mais maravilhosa de todas, para mim. Aliás, a descida aqui vale não só pela vista como também pelos espasmos de admiração que você vai tendo (principalmente quem passa por aqui pela primeira vez) ao ver o mar se "espalhando", se agigantando à sua frente. A imagem aqui só não ficou mais bonita porque eu estava dentro do carro e tirei com o vidro (que estava sujo) na minha frente. Sério, este é para mim um dos cartões-postais mais bonitos do Rio.



Ao fundo, a Prainha, vista na descida da Praia de Grumari.



Vista que se tem chegando à Prainha, voltando de Grumari.


Dedico esta postagem ao meu ex-colega de trabalho e querido amigo William Edward McDavid, que, infelizmente, acabo de saber, faleceu. Querido Bill, você era um apaixonado pela natureza, por isso lhe presto esta pequena homenagem. Saudades...


Veja também as seguintes postagens:

Prainha, Mirante da Prainha e Parque da Prainha

Mirante do Caeté


2 comentários:

denise disse...

Oi Regina!
É a Denise que visita seu blog de vez em qdo.
Q bom q vc foi conhecer a Marambaia, o Grumari e a Prainha. Para mim, são as melhores praias de nossa cidade. A Prainha então é meu xodó. Amo aquela visão de mar aberto conjugado à natureza verde, num recanto nem tão explorado assim (ainda bem).
Faz mto tempo q não vou lá. Me deu saudades.
Bjs.

Regina Mendes disse...

Oi, Denise! Eu não voltava à Prainha fazia anos... Também tenho um sentimento especial pela Prainha. O Rio tem mesmo muitos encantos. Beijão e um ótimo final de semana pra você.